logomarca

Pedido de Oração

Downloads

Boletins

Acompanhe-nos

Visitantes


Você é o visitante número 3807 .

 


Janeiro/2015 Raízes Profundas

imprimir tamanho da letra: A- normal A+

Para aprofundar as raízes

 

1ª semana – Em quem? (Cl 2.7a) Em Jesus, o Salvador, autor e consumador da nossa fé. Já dizia o salmista: “Uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do Senhor, nosso Deus.” (Sl 20.7) Jesus deve ser prioridade em todas as áreas da vida do cristão. Sua confiança deve estar no Senhor dos exércitos. Se uma pessoa frequenta a igreja, cria vínculos com os irmãos na fé, mas não tem relacionamento com Jesus, não tem raiz. Essa pessoa pode até ser uma árvore frondosa, é atuante na obra, tem intenção de ajudar em tudo, mas seu destino é o chão no primeiro vendaval. A sustentação da árvore deve estar na raiz, portanto, esta não pode ser frágil. Diante de Deus, o ser humano é frágil e precisa de sustento do alto. Portanto, como outro ser humano, posição ou bem materiais poderia sustentar o homem? A força e a sustentação de uma árvore estão na raiz que não pode ser superficial ou rasa. Assim, o sustento do cristão deve vir, em primeiro lugar, da aliança com Deus.

As funções da raiz são: fixar a planta no solo, absorver a água com sais minerais e acumular reservas. Da mesma forma, Jesus proporciona aos seus servos: sustentação (Sl 91.7), a água da vida (Jo 4.14) e vida em abundância (Jo 10.10b). Uma árvore com raízes profundas e fixadas em Cristo, não cairá na tempestade. Quando as pessoas vêm à igreja, mas não se fixam em Deus, abandonam a fé diante das tribulações. Já, para a pessoa enraizada no Senhor, as circunstâncias desfavoráveis são oportunidades de aumentar a sua fé.

* Testemunhe em sua célula, circunstâncias que serviram para estreitar seu relacionamento com Deus. Saliente que, embora servos do Senhor, todos estão sujeitos às intempéries da vida. Dê oportunidade para os discípulos compartilharem suas expectativas e experiências com Deus.

 

2ª semana – Como? (Cl 2.7a) Extraiam d’Ele a nutrição. A segunda função da raiz é absorver nutrientes que alimentem e mantenham a árvore forte. Árvores bem nutridas expandem seus ramos e produzem frutos (Jo 15.16). Jesus tem o alimento necessário e infindável para os seus filhos. Para desfrutar a nutrição que vem d’Ele é necessário se alimentar diariamente da Sua Palavra. É notável na conduta do cristão sua intimidade com a Bíblia. Para o mundo, a Bíblia é apenas um livro antigo. Já para o filho de Deus, ela é alimento (Jr 15.16; Mt 4.4). É interessante que árvores de regiões áridas têm raízes profundas e longas para buscarem umidade em uma vasta área. Já, plantas de regiões úmidas e férteis têm raízes finas e rasas e não se estendem além de seus ramos. Assim, em situações de aridez, o cristão enraizado em Deus sabe buscar forças para superar e ser resiliente. Porém, pessoas interessadas apenas em posições e bem-estar, quando provadas, caem como árvore sem raiz e abandonam a fé. Em tais situações, culpam o líder ou a igreja por seu fracasso.

* Desafie seus discípulos a lerem mais a Bíblia. Desenvolva um plano de leitura entre o grupo. Estabeleça metas. Incentive o devocional diário.

 

3ª semana – Quando? Cuidem de continuar a crescer no Senhor (Cl 2.7b) Árvores com raízes profundas são conhecidas pela estabilidade. Suas raízes continuam a crescer para baixo a fim de localizar uma fonte constante de água e alimento e assim, acumular reservas. Da mesma forma, o cristão deve continuar a crescer em Deus. Não pode contentar-se com os primeiros alimentos, quando recebia de outros o sustento necessário para crescer na fé. Se ontem apenas balbuciava uma oração de gratidão, hoje pode ser um intercessor. Se hoje é um aluno da escola de princípios, amanhã pode ser um professor da escola de líderes. Se hoje é um visitante na célula, almeje ser um anfitrião. Se hoje é um discípulo, empenhe-se para ser um líder de excelência. Se hoje é um líder de célula e tem um chamado divino, almeje o pastorado (1 Tm 3.1). Aumente o tempo de leitura da Palavra, faça cursos na igreja, invista no ministério, ore mais. Peça a Deus para ter experiências com Ele, aprenda a ouvir o Espírito Santo, conviva com pessoas que oram, frequente as reuniões de oração do Templo e seja um testemunho vivo da obra de Cristo em sua vida. Não perca mais tempo com individualismo, mágoas, autocomiseração e críticas que não edificam. Crescer no Senhor é ser nova criatura (2 Co 5.17), é doar-se em vez de exigir, é valorizar o outro em vez de reivindicar o centro das atenções. Não se deixe levar pelo espírito de murmuração e descontentamento que às vezes insiste em se manifestar entre os santos. A árvore cresce de acordo com a raiz. Seja, no mínimo, parecido com Cristo.

* Incentive o crescimento dos seus discípulos. Convide-os para ministrar uma Palavra, trazer uma curiosidade bíblica, cantar ou tocar. Desafie a célula a evangelizar familiares, colegas e amigos. Compartilhe com eles a parábola dos talentos (Mt 25.14-29)

 

4ª semana – Para? E que a vida de vocês transborde (Cl 2.7c) Raízes profundas produzem ramos frutíferos que se multiplicam em abundância. Estes frutos devem ser saudáveis e para isso, é necessário vigiar e dizer não ao pecado. Ninguém chega à igreja e muda de um dia para outro. É necessário tempo, esforço e intercessão para abandonar velhos hábitos e servir a Cristo em santidade. Na célula, o líder apoia, aconselha e fornece cobertura espiritual para o desenvolvimento do caráter de Cristo nos discípulos. O desejo de Deus é que seus filhos transbordem em saúde, provisão, amor, alegria e paz. A raiz cumpre seu papel com eficácia quando a árvore produz frutos que alimentarão outro ser, além de produzirem novas sementes. Quando o discípulo da célula estiver enraizado em Deus, produzirá outros discípulos (Jo 15.5), libertará vidas presas em vícios e outros tipos de violência contra o ser humano, divulgará o amor do Senhor e povoará o céu. Obs: A parte mais importante da planta (raiz) não aparece, fica escondida no solo. As folhas, flores e frutos, embora belos e saborosos, caem e precisam morrer para multiplicar. Não se preocupe se a sua

obra não aparece, se o seu esforço não é notado. Lembre-se que a raiz (Jesus) está escondida em seu coração e é por Ele e para Ele que são todas as coisas. Se precisar morrer para si mesmo e para o mundo a fim de multiplicar, escolha a renúncia. Jesus já deu o exemplo!

 

* O que é preciso fazer para transbordar em Deus? O que pode acontecer quando o cristão se torna cheio do Espírito Santo? Busque a resposta e coloque-a em prática na célula. Deus lhe surpreenderá!

Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.

Parceiros

Projeto Nações em Ação Rede Cristã de Empreendedores Central de Células Blog Pastora Luisa